agenda
mês de abril 2021
03—2021



S
T
Q
Q
S
S
D


1

2

3

4


5

6

7

8

9

10

11


12

13

14

15

16

17

18


19

20

21

22

23

24

25


26

27

28

29

30












8 abril: 15h-20h
vernissage exposição
“corpo-fumo” no espaço
cultural das mercês

15 abril:
conversa com a artista
juliana matsumura e
lançamento de catálogo
“corpo-fumo”

27 abril:
finissage exposição
“corpo-fumo” no espaço
cultural das mercês




CORPO-FUMO
EXPOSIÇÃO DE JULIANA MATSUMURA

inauguração 8 abril 2021 | quinta | 15h-20h
8 – 27 abril 2021 | segunda - sexta: 14h-20h

sábados e domingos: encerrado
entrada livre


rua cecílio de sousa 94, 1200-100
lisboa, portugal



a riqueza estética do trabalho de juliana matsumura apreende o olhar de imediato. a complexidade das linhas, as fronteiras construídas entre as tonalidades e as sobreposições provocadas pelo emprego de diferentes materiais são o convite perfeito para conhecer melhor o universo dessa que é uma das artistas mais completas e multidisciplinares que o coletivo tarimba teve a oportunidade de colaborar. a diversidade dos materiais e técnicas trabalhadas em diferentes linguagens como a gravura, o vídeo, a instalação e a fotografia dão forma a um complexo corpo de ideias que exploram as intersecções criadas pelo encontro de dualidades. quais são os pontos de passagem entre o material e o espiritual, entre o natural e o artificial? o que acontece no limite entre memória e esquecimento, entre a luz e a escuridão, entre o início e o fim? o trabalho de juliana matsumura convida-nos a refletir sobre transmutações inevitáveis, sobre a impermanência das coisas e da vida, evocando relações entre temas como a natureza, a espiritualidade e a ancestralidade.

juliana matsumura (mogi das cruzes, 1993) é artista nipo-brasileira. concluiu o curso de desenho do ar.co (2017), tendo frequentado a licenciatura em design têxtil e de moda da universidade de são paulo. atualmente participa do grupo de acompanhamento crítico em arte contemporânea nowhere e é membro do grupo de práticas focadas em desenho contemporâneo risco coletivo. o desenho é o principal meio de expressão, mas também desenvolve pesquisa em instalação e vídeo. das exposições que participou destacam-se: grão – residência artística na antiga capitania de aveiro (2020); surgit (individual) no nowhere; mostra jovens criadores 2018 na nova sbe, carcavelos (2019); evocatório na galeria mute, lisboa (2018); platform for emerging arts #18 na leyden gallery, londres (2018) e encontros do olhar no instituto tomie ohtake, são paulo (2016). vive e trabalha em lisboa.